Doação de sangue: mitos e verdades

jun 12, 2018

0
Doação de sangue: mitos e verdades

Doação de sangue: mitos e verdades

Não é de hoje que os mitos e verdades sobre a prática da doação de sangue geram dúvidas em muitos doadores. Sabia que doar sangue não causa dor e também não altera em nada sua saúde e que apenas uma doação pode salvar até quatro vidas?

COMO FUNCIONA?

Você até tem vontade de doar, mas não sabe como começar? O primeiro passo é ir a um hemocentro portando documento com foto e estar ciente dos requisitos e impedimentos para a realização do processo.

A doação é voluntária e com apenas um furinho na ponta do dedo é realizada uma triagem clínica e hematológica que checará suas taxas de pressão arterial, batimentos cardíacos, peso, temperatura corporal e até a quantidade de hemácias presentes no sangue.

QUEM PODE DOAR?

É um mito dizer que os idosos não podem doar. Desde 2003, o intervalo de idade apta está entre 16 e 69 anos. E não se engane! Doação de sangue também é para quem tem tatuagens e piercings. Entretanto, quem possui o acessório na cavidade oral não pode ser doador, pois a boca é mais receptiva a infecções do que outras áreas do corpo.

Para pessoas tatuadas, a doação deve ser feita somente após 1 ano da cicatrização do desenho, já que esse é um tempo adequado para manifestações de doenças que possam ter sido transmitidas pela agulha.

Está amamentando ou vai se tornar mamãe? Nesse período, a doação não é para você. Mulheres em período de gestação devem esperar até 180 dias após o parto, enquanto lactantes devem aguardar um período de 12 meses depois do nascimento do bebê.

A dieta e o descanso influenciam muito na doação. É preciso estar bem nutrido, pesando mais de 50 quilos,  e ter feito refeições leves e livres de gordura. Bebeu e vai doar? Espere 24 horas. O álcool na corrente sanguínea tornará seu sangue impossibilitado de ser aproveitado. Nada de desperdício!

PERCA O MEDO

Um grande mito infundado acerca da doação de sangue é a possibilidade de que o doador se torne suscetível a contrair doenças transmissíveis. Com a implementação do Teste NAT (teste de biologia molecular), doenças como HIV e Hepatites B e C são detectadas pelo procedimento que identifica se a pessoa está contaminada mesmo que em um curto período entre a contaminação e a doação. Em caso afirmativo, o sangue será descartado.

Ao contrário do que muitos pensam, a doação de sangue nunca poderá ser repetida em um intervalo igual ou inferior a 30 dias. O período correto é de 60 dias para homens e 90 dias para mulheres e esse tempo deve ser respeitado, para o bem do seu corpo.

ETAPAS DO PROCESSO

Se não tiver em mãos exames que comprovem seus antecedentes patológicos, não se preocupe! Por meio de uma entrevista serão analisados todos os fatores de risco que podem comprometer sua doação. Pode acontecer de alguma doença existir no seu corpo em período de janela imunológica, intervalo de tempo entre a infecção e a produção de anticorpos que confirma a patologia.

É imprescindível que você seja preciso e verdadeiro em suas respostas, evitando incidentes nas etapas de doação. Procure não se sentir constrangido com as perguntas. Antes de oferecer qualquer tipo de risco aos pacientes que tanto precisam, seu sangue pode ser descartado se surgir alguma dúvida da idoneidade das suas repostas e toda a sua boa vontade será em vão. Evite!

Passada a entrevista, o próximo passo é a coleta do sangue e de algumas amostras destinadas a tipagem e sorologia. Doação é coisa séria e, ao ler a matéria Check-Up anual: importância para a qualidade de vida, você verá que cuidar da saúde com exames anuais é muito importante para manter seu sangue sempre saudável.

APÓS A DOAÇÃO DE SANGUE

Tudo certo com a entrevista, os exames e a coleta? É nesse momento que o sangue será estocado até que os resultados sorológicos possam definir se sua doação será utilizada ou desprezada. Se aprovado, o sangue doado é preparado para o envio.

Agora é hora de ajudar quem precisa! Como o sangue é um tecido renovável, tudo o que pode ter sido perdido durante a doação é reposto em cerca de 8 semanas para homens e 12 semanas para mulheres. Quando aplicado a uma alimentação equilibrada e nutritiva, esse tempo não causa prejuízos à pessoa receptora, que estará em um dos seguintes grupos:

  • O grupo dos casos de emergência transfusional compreende cirurgias de grande porte e hemorragias ou qualquer situação em que a perda de sangue seja acentuada.
  • Já o grupo dos casos não emergenciais é composto por pessoas que estão em tratamentos decorrentes de anemias crônicas, antes de cirurgias ou para a prevenção de hemorragias.

DATA IMPORTANTE

Junho é o mês da conscientização da doação de sangue.  E você é uma peça-chave na divulgação para que mais pessoas possam doar amor em forma de esperança. Para te ajudar a garantir a saúde necessária para você ser mais um doador, a Líderfarma preparou muitas ofertas imperdíveis.

Clique e veja nosso tabloide online