Audição: é importante preservar seu bebê

ago 21, 2018

0
Audição: é importante preservar seu bebê

Audição: é importante preservar seu bebê

Publicado em : Artigos em por : Rede Líderfarma
  • ,
  • ,
  • Você tem um bebê em casa? Sabia que a audição é o primeiro sentido a ser adquirido por nós, humanos, ainda na gestação? Por serem um dos principais sentidos para a comunicação, os ouvidos precisam de atenção especial ainda na primeira infância. Mas como garantir a saúde auditiva dos nossos filhos?

    AUDIÇÃO É COISA SÉRIA

    Nas primeiras fases da vida, o organismo está em pleno desenvolvimento e precisa de uma rotina agradável, horas de sono em abundância e bons hábitos alimentares. Até os três meses de idade, é recomendável que o bebê não fique exposto a lugares com muita poluição sonora.

    Ruídos domésticos também contribuem para prejudicar a audição do bebê. Atente-se para algumas formas simples de como controlar a rotina dos pequenos: manter o volume da TV mais baixo e as crianças pequenas afastadas de fontes de ruído, como caixas de som, aspiradores de pó e secadores de cabelo pode ajudar a manter a saúde auditiva dos pequenos.

    COMO VERIFICAR A SAÚDE AUDITIVA?

    Seu bebê ainda não completou um ano? Para saber se ele possui uma saúde auditiva perfeita, você pode fazer alguns testes simples em casa. É esperado que os recém-nascidos se espantem com ruídos e reajam à voz dos pais, sendo capazes de balbuciar e emitir sons.

    Caso seu filho tenha entre um e três anos, é importante que você verifique em qual estágio da fala ele está. Notou algum tipo de atraso? É importante investigar, pois pode ser algo relacionado a problemas auditivos.

    Há algumas diferenças entre meninos e meninas em idade escolar, pois recorrentes falhas auditivas podem se refletir em dificuldade de aprendizado e concentração nas aulas. Em casa, você pode observar alguns pontos: se a criança apresenta necessidade de assistir à TV em volumes muito elevados ou até mesmo dificuldade para entender conversas no ambiente familiar, talvez seja hora de levá-la a um médico especializado.

    QUAIS EXAMES DEVO FAZER?

    Tem notado que pode haver algum problema no ouvido do seu filho, mas não sabe como proceder? Visite um otorrinolaringologista. O profissional examinará a criança e poderá fazer uma audiometria, exame que identifica, por meio de sinais, se a criança tem alguma perda auditiva já na primeira infância.

    Você conhece o teste da orelhinha? Realizado logo após o nascimento, é um importante diagnóstico para detectar possíveis problemas de audição do bebê. Por meio do exame, é possível diagnosticar se a criança possui algum tipo de perda auditiva e, quanto mais rápida a identificação, maiores e melhores as chances de tratamento, para que possa levar uma vida sem complicações.

    audição

    Diagnosticar possíveis problemas auditivos na primeira infância pode fazer a diferença para o sucesso do tratamento. Foto: Divulgação

    ATENÇÃO À ROTINA

    Vale lembrar que não adianta visitar o médico e continuar com os mesmos hábitos. Maus hábitos e ambientes com muita poluição sonora podem deixar sequelas no ouvido tanto das crianças como dos adultos. Cerca de 40% das pessoas que possuem problemas de audição não consideram que ouvem mal e custam a procurar ajuda.

    Entre moradores de grandes cidades, a perda auditiva está surgindo cada vez mais cedo e o trânsito pode ser um grande vilão, pois o alto ruído constante afeta também a saúde psicológica, gerando estresse e aumentando a pressão sanguínea.

    SEU BEBÊ PRECISA DE CUIDADOS

    Por terem um sistema auditivo ainda frágil, as crianças podem sofrer bem mais que os adultos em lugares tumultuados. E não é somente a audição que fica prejudicada. Expor seu bebê a locais muito iluminados e com muita poluição visual também contribui para prejudicar a visão do pequenos.

    Veja também Saúde Ocular: preserve seus olhos em todas as idades

    A grande quantidade de aparelhos eletrônicos cada vez mais presentes na rotina das crianças também são ameaças à saúde. Ensine a seus filhos que respeitar os limites de decibéis recomendados não é só uma questão de respeito aos outros, mas uma boa medida de beneficiar sua própria saúde auditiva. A exposição a ruídos superiores a 50 decibéis pode causar perda progressiva de audição.

    PERDA AUDITIVA: O QUE FAZER?

    Recebeu o diagnóstico de que seu filho precisa de aparelho auditivo? Mantenha a calma. Apesar de uma perda auditiva severa ter algumas complicações, aparelhos e implantes podem se revelar uma boa saída, de acordo com o tipo de perda manifestado pela criança.

    Não é possível utilizar aparelhos auditivos? Converse com um médico de confiança e considere a possibilidade de utilizar a língua de sinais para se comunicar com seu pequeno. Você pode se surpreender com as possibilidades dessa forma de comunicação e permitir que seu filho aprenda a se comunicar com naturalidade. Repense!

    A Líderfarma sempre se preocupa em fornecer os melhores produtos para te ajudar a se manter saudável e garantir a saúde de toda a sua família.

    Clique aqui e veja nosso tabloide online